A Personagem

| quinta-feira, 12 de março de 2009 | |
Estava sentado na cadeira, com as mãos em cima da secretária. Um cigarro dava os últimos suspiros no cinzeiro. Ele olhava para o nada, e o nada olhava para ele. Havia várias horas que não mudava de posição e o telefone de serviço não parava de tocar. Sentia-se bem naquela modorra, não sabia porquê, era um cansaço benigno. Algo lhe desviou entretanto a atenção do nada. Algo que se movia sorrateiramente atrás dele. Com o canto do olho, sem se mexer, conseguiu ter um vislumbre da personagem. Era o IRS. «Quem será este IRS que todos os anos me persegue?». Sentiu que a paz era coisa do passado.

0 comentários: