A Troca

| quinta-feira, 23 de julho de 2009 | |
«E tu, que fazes por estas terras marroquinas?». Perguntou o poeta ao vagabundo. «Olha, trabalho, coisa que pouco me orgulha». Já não se encontravam havia anos. O lírico fechara-se no seu quarto para se curar de uma pequena depressão que foi crescendo e, em menos de nada atingiu a idade adulta. O vagabundo, apagara as luzes do seu país e partira à aventura, calcorreando este mundo e pedaços do outro. Era uma espécie de reencontro de familiares há muito desavindos; não sabiam muito bem o que dizer um ao outro e ambos mediam-se de cima abaixo. «Está mais velho» pensava um. «Continua na mesma» reflectia o outro. Sentaram-se a beber chá e trocaram notas sobre as suas desventuras. O mundo dera as suas voltas. Espantava-se o poeta, que agora transpunha fronteiras, de encontrar o seu amigo agrilhoado às sevícias duma lida rotineira. «O que é que se há-de fazer?». Era verdade, não havia nada a fazer. Ali, naquele deserto saint-exuperiano, tinham trocado de lugar.

2 comentários:

brita Says:
23 de julho de 2009 às 20:02

bom cenário para viajar
:)

El Matador Says:
23 de julho de 2009 às 20:07

Também me parece.