A Chamada

| terça-feira, 28 de julho de 2009 | |

«Aguarde um momento por favor!...». Zeferino aguardava impaciente que a telefonista completasse a ligação. Telefonava-lhe do passado, onde tinham combinado encontrar-se. Ela estava uns quantos anos atrasada. Zeferino mostrava-se ansioso; tinha passado tanto tempo, havia tanto para falar... E por isso ali estava ele, naquela cabine telefónica ao canto da rua, ainda à espera. «É só mais um momento por favor!..» «concerteza!». Acendia cigarros para passar o tempo, a névoa do tabaco ajudava-o a pensar, a ordenar as ideias. «Aguarde por favor!...». Primeiro ia perguntar-lhe porque não apareceu ao encontro e não o avisou; depois o porquê de nunca mais ter dado notícias, e, mentalmente ia apontando as perguntas que surgiam cada vez que a telefonista o mandava aguardar. As malditas chamadas intemporais eram uma chatice. Relativamente fáceis do futuro para o passado mas um aborrecimento quando o fluxo era o inverso. «É das válvulas» como diria o outro. E assim estava Zeferino, a acender cigarros e a desesperar quando finalmente a chamada passou «Sr. Zeferino, está em linha, pode falar». Encheu os pulmões de ar e de coragem e o que lhe saiu foi: «Então! Ainda 'tás com fome? Queres ir ao italiano ou ao chinês?».

4 comentários:

calamity Says:
28 de julho de 2009 às 19:14

:)

poderia ser pior.
ser atendido pelo voice mail.

El Matador Says:
28 de julho de 2009 às 19:44

Ahahaha, sim, isso teria sido ainda mais frustrante.

roserouge Says:
28 de julho de 2009 às 23:48

Se pretende convidar a menina para jantar, prima tecla 1;
Se pretende pedir-lhe dinheiro emprestado, prima tecla 2;
Se pretende chatear-lhe a cabeça, prima tecla 3;
Se pretende coiso e tal com a menina, prima tecla 4;
Para outros assuntos, prima tecla 5.

El Matador Says:
28 de julho de 2009 às 23:56

ehehe,realmente simplificava muito as coisas. Nunca se sabe, o futuro é uma maluquice.