A Casa ao Fundo da Rua

| quinta-feira, 4 de junho de 2009 | |
Todos os dias surgiam homens que entravam na tasca e perguntavam onde ficava a casa da Rosa.«É só descer esta ruazinha, a casa fica lá ao fundo.» Explicava, a maior parte das vezes, a dona da tasca. A tasca ficava num Largo com vista para a casa da Rosa. Era matemático, quando entrava um homem com ar tímido, ou fanfarrão, ou perdido, a dona da tasca suspirava e, sem sair detrás do balcão lá indicava aos homens o caminho certo. Outras vezes eram os próprios clientes da tasca que, já com um copo a mais, apontavam o dedo na direcção da célebre casa. A Rosa «faz jeitinhos» dizia a dona da tasca, e tal como o seu estabelecimento, a Rosa era um marco naquele Largo perdido.
Um dia, estava Labregoísio sentado sozinho a uma mesa, a beber o seu brandy, quando entra um homenzinho, ávido de «jeitinhos» que lhe faz a pergunta do costume. Labregoísio que já sabia a resposta de cór, deu as indicações ao homem com toda a verve e empenho que costumava aplicar nas suas empresas. Sentou-se e, do outro lado da tasca, uma senhora vestida de negro sorriu e brindou-lhe em silêncio, Labregoísio devolveu o brinde e embrenhou-se de novo nas divagações de sempre. Mais tarde, curioso, indagou junto da dona da tasca sobre a senhora que tinha estado ali sentada. « Aquela? Era a Rosa!»

2 comentários:

roserouge Says:
5 de junho de 2009 às 14:40

Este Labregoísio é uma personagem nova,não é? E ah... Rosa é um ganda nome...

El Matador Says:
5 de junho de 2009 às 15:08

Sim o Labregoísio, surgiu agora, é principiante.Rosa é o nome de uma pessoa que eu conheço.