O Engodo

| terça-feira, 26 de maio de 2009 | |
O espectáculo era composto de muitas luzes, muito barulho, muitas cores espalhadas pela tenda e muito plástico resplandecente. O Mestre de Cerimónias sabia da devoção dos animais primitivos pelas coisas brilhantes e luzidias e assediava-os com uma voz maviosa «venham comigo meus queridos, venham pelo caminho que vos há-de levar até à luz». Os animais entontecidos, maravilhados com os palhaços e malabaristas que ladeavam o caminho, seguiam os velho Mestre de Cerimónias que saltitava de um lado para o outro e apontava sempre para a luz. À frente iam os ratos, sempre apressados a liderar a estranha caravana, atrás destes vinham as vacas acompanhadas pelos porcos, e, logo a seguir os burros e outros distraídos. O fogo de artifício explodia a compassos sucessivos e os trompetistas de ouro e as bailarinas de cristal compunham o cortejo. Golfinhos azuis tentavam, de tempos a tempos, alertar os animais, avisar-lhes que a luz ao fundo do túnel era na realidade um comboio, mas estes já só prestavam atenção à magnificência do espectáculo que, era realmente espectacular.

3 comentários:

roserouge Says:
26 de maio de 2009 às 23:21

Um espectáculo verdadeiramente espectacular tem que ser mesmo assim: muitas luzes, muito barulho e muitos animais. Uns mais distraídos que outros, claro.

El Matador Says:
26 de maio de 2009 às 23:31

E trapezistas a cairem de costas.

roserouge Says:
26 de maio de 2009 às 23:34

E tigres a abocanharem os incautos. Bonito.