A Muralha

| terça-feira, 5 de maio de 2009 | |
O monte de papeis em cima da secretária tornou-se efectivamente num castelo quando lhe foi acrescentado mais duas pastas e um dossier com aborrecidas datas, infindáveis inquéritos e facturas absurdas. Zeferino já tinha apostado com o seu colega das entregas em como, um dia, aproveitaria a muralha dos processos para se escapulir do trabalho sem que ninguém desse por nada. E assim, abriu o alçapão que ficava por debaixo da sua secretária e desceu pelas escadas de corda que havia preparado de antemão. No túnel que dava acesso à saída do complexo encontrou uma senhora idosa perdida «não minha senhora, para receber a pensão não é por aqui...». Algumas horas após consultar várias vezes o mapa, logrou sair do cinzento labirinto. O céu parecia-lhe mais azul que o normal e o ar cheirava-lhe a praia.
Na sua secretária o telefone tocava sem resposta. Do outro lado da muralha de papel, os seus colegas comentavam: «Lá está o Zeferino!...Que dedicado!...Quanta concentração...,nem atende o telefone». Na praia, Zeferino construia castelos de areia e deixava-se enrolar propositadamente nas ondas, ainda era cedo.

7 comentários:

roserouge Says:
6 de maio de 2009 às 23:38

Há aqui qualquer coisa nesta história que me faz lembrar o Barton Fink. Será a cena da praia?

El Matador Says:
7 de maio de 2009 às 00:12

Grande filme esse, já o vi há muito tempo, já não me lembro da cena da praia.

roserouge Says:
7 de maio de 2009 às 11:25

A cena da praia, foi uma cena que ele imaginou a partir dum quadro num hotel rasca onde ficou lá em LA, e que depois no fim do filme...acontece qualquer coisa, ah pois...

El Matador Says:
7 de maio de 2009 às 12:12

Fui ao youtube e vi a cena da praia em que ele encontra a rapariga, é essa?

roserouge Says:
7 de maio de 2009 às 13:04

É essa mesma. É a rapariga do quadro na parede lá no hotel, que está sentada de costas, na praia. Esse filme é uma coisa!

El Matador Says:
7 de maio de 2009 às 14:15

É uma pedra esse filme, e acho que o Turturro ficava bem no papel de Abrenúncio.

roserouge Says:
7 de maio de 2009 às 14:32

John Abrenúncio. Pois, parece-me bem...