Na Fronteira Com a Rússia

| segunda-feira, 14 de janeiro de 2013 | |

Pessoalmente sinto-me uma matrioshka. Sou oco e arredondado e existem vários cá dentro. Vi-as uma vez à venda na fronteira com a Rússia mas não comprei nenhuma. Assombrou-me a forma como se pareciam comigo.
Por fora também sou grande e prometo muito. Quem me vê ao longe até pensa antes de se aperceber da minha vacuidade, eh lá, o que é aquilo que ali vem? Depois desatarraxam-me a cabeça só para encontrar lá dentro uma versão mais pequena e mais mesquinha de mim. Uma e outra vez repetem a operação e lá vão surgindo eus cada vez mais absurdos, brutais, coléricos, cínicos, invejosos e sempre que isso acontece diminuo de tamanho perante os olhares espantados da multidão. Que prodígio é este perguntam, o homem tem que estar em algum lado. Enganam-se redondamente. E camada atrás de camada, como se faz à cebolas, vão-me desmanchando, com a fúria avassaladora de quem se atola no lodo e não encontra a agulha no chiqueiro. Acabo por aparecer na última peça, compacto e indivisível, sujo, intratável, boçal, patético, minúsculo e imprestável. Ah! Exclamam, é só isto? Agito furioso os bracinhos num frémito enervante. Alguém me dá um pontapé que me deixa deitado de costas a espernear, como as baratas depois de pisadas. Brado aos céus insultos a todos os deuses mas a voz sai-me esganiçada. De tanto remexer acabo soterrado na lama e toda a vida me sabe mal.  

10 comentários:

BlackWidow Says:
14 de janeiro de 2013 às 20:32

porra! escreves mais negro do que eu me sinto! ;)
se serve de alguma coisa contrariar-te (a experiência pessoal diz-me que não...) então devo dizer-te que estás a ver a coisa totalmente ao contrário!!!!

mas continua, por favor - já me senti assim, e fizeste-me rir por isso mesmo! muito negro e muito bom. pelo que me diz respeito - serviço público! ;)

beijos!

nAnonima Says:
14 de janeiro de 2013 às 20:32

reencontrei stig dagerman e kafka (metamorfose) aqui, juntamente com a visão distorcida que tens de ti, porque todos os loucos a têm.

El Matador Says:
14 de janeiro de 2013 às 21:09

@BlackWidow: Não, não serve de nada contrariares-me :).

@nAnon: ehehe, foi por causa da barata que vistes aqui o Kafka, foi inconsciente, ou talvez não.

nAnonima Says:
14 de janeiro de 2013 às 21:16

sim, a barata. do stig, as bonecas russas.

:))))

porra, homem. até parece sádico, mas gosto tanto de te ler.

El Matador Says:
14 de janeiro de 2013 às 21:23

Por acaso não me lembrei do Stig nas bonecas russas, lembrei-me mesmo foi das bonecas russas que vi à venda na fronteira com a Rússia.

nAnonima Says:
14 de janeiro de 2013 às 21:30

porra, homem, já foste à Rússia...

El Matador Says:
14 de janeiro de 2013 às 21:32

Não, tive só na fronteira. :)

nAnonima Says:
14 de janeiro de 2013 às 21:32

Parvalhão!!!!! já esperava essa :)

Briseis Says:
15 de janeiro de 2013 às 00:03

Isso é mau? antes assim do que desatarracharem-te a cabeça e só haver vazio... é o que não falta aí.

hesseherre Says:
15 de janeiro de 2013 às 17:49

A senhora na feira pergunta se os legumes estão frescos.
O feirante garante: fresquíssimos, pode levar...
Qual é o mais ingênuo e estúpido?
Se perguntarem ao Matador se ele está bem e ele diz que sim, acredite; ele é na verdade a great guy.