Espelho Meu, Espelho Meu...

| sexta-feira, 18 de janeiro de 2013 | |

Tenho a alma em carne viva
E os cordões desapertados
Cada vez que troco os passos
Desfaço-me em mil bocados


Hoje de manhã, no acto de me pentear e tentando alinhar os pêlos mais revoltos da ruiva barba que me caracteriza, dei comigo a pensar: caramba pá, és um gajo deveras bonito. Acto contínuo resolvi convidar-me para jantar. Uma coisa impessoal lá em casa, com umas velas de cheiro, um vinho branco e uma massa feita à pressão. Já há umas semanas que me circundava e mandava umas indirectas, a apalpar terreno, mas nada… Nunca quis saber de mim. Hoje no entanto, fazendo uso de umas falinhas mansas que só eu conheço e aproveitando que estava um tudo nada invulnerável, telefonei-me e lá consegui convencer-me. Cheguei mais cedo que o combinado com uma garrafa de vino e um ramo de flores. Oh! Emocionei-me, não era preciso, Qual quê? Eu sou mesmo assim, um romântico invertebrado. Como cheguei antes da hora marcada dei comigo ainda a fazer o jantar. Abri a garrafa de vino e servi-me generosamente. Gosto de beber vinho enquanto me ensaio na cozinha. Ultimamente acho que cozinho apenas como desculpa para poder abusar do vino. Sentei-me à mesa e ataquei as entradas de queijo derretido com orégãos e azeite que tinha preparado. Hummm! Que bom! Comentei e agradeci-me. Com o prato principal enchi mais um copo de vino e brindei-me. Que maravilha, pensei, isto está a correr muito melhor do que tinha planeado. Geralmente fico nervoso quando recebo visitas, mas desta vez, até me estava a portar condignamente. Fiz os brindes habituais para um futuro e saúde melhor e aproveitei como sempre para falar sobre mim: dúvidas, angústias e tudo mais. Abanei a cabeça, fingindo-me interessado enquanto me ouvia: sou um bom ouvinte, e para mais, conhecia bem aquela história. Depois do jantar, a pièce de résistance foi o whisky de malte com que me felicitei. Não há dúvida que só uma pessoa como eu é que me pode conhecer desta forma: pois se era exactamente a marca que costumo beber, mais do que devia, advirto-me, ultimamente parece que tenho abusado do licor dos deuses (da Escócia), sim, sim, mas não há-de ser por causa de uma noite que há-de vir o mal ao mundo, retorqui. Tens razão, concordei e enchi mais um copo. Depois, já no quarto, como se estivesse num qualquer simpósio questionei-me sobre o sentido do Amor. Parece que tenho andado a ler Platão às escondidas, O Banquete, nos intervalos dos intervalos de quando não faço nada. Pela parte que me toca, argumentei, o amor são duas linhas paralelas que se cruzam de vez em quando e que nunca se hão-de encontrar nem no infinito, e disto não se lembrou Platão. É bem verdade, anuí, pode dar-se o caso que nem sequer sejam paralelas, as linhas, e que uma seja apenas uma projecção da outra, ou seja, a outra nunca esteve lá, compreendes? Compreendo perfeitamente, já estás bêbado! Não é por aí, expliquei-me, a outra linha nunca esteve lá, era apenas uma ilusão, um engano. É possível! Tenho que escrever isto! Sentei-me ao computador sem reparar que me tinha deixado desamparado à porta do quarto. Daí observei-me sentado ao PC em efervescente agitação de conceitos que se escapavam pelo teclado, vítimas de um jantar e noite bem regadas. Despedi-me até uma próxima altura mas sinceramente nem dei por ter saído. Acabei com a excelsa liquidez caledónia e estirei-me ao comprido na cama, na diagonal, como gosto de fazer de vez em quando em noites de lua nova. Pensei em mim e na rudeza que foi o não me ter acompanhado até à porta. 
Adormeci a borbulhar em malte na certeza porém de que iria acordar bem acompanhado.


6 comentários:

nAnonima Says:
19 de janeiro de 2013 às 00:08

tenho o mesmo discurso quando faço sexo comigo mesma...

nAnonima Says:
19 de janeiro de 2013 às 00:10

ps.: roubei! porque é muitooooo bom :) tu e tu!

El Matador Says:
19 de janeiro de 2013 às 00:24

Ahaha, evagino.
Pois,sou o meu pior crítico e o meu melhor amante, ahahah, que camada.

nAnonima Says:
19 de janeiro de 2013 às 00:34

que casal...

Briseis Says:
19 de janeiro de 2013 às 17:36

A tua esquisofrenia é do mais sensual que tenho visto... e olha que já vi umas coisas... =)

hesseherre Says:
23 de janeiro de 2013 às 20:44

FIRST SELF-MASTURBATION WORLDWIDE CONGRESS...
Already with two members.