Mensagens Encriptadas do Coração para as Mãos

| sexta-feira, 20 de agosto de 2010 | |
Abrenúncio não se decidia quanto à posição para escrever: se sentado se de pé. Sentado não conseguia parar de bater o pé enquanto o coração lhe batia na ponta dos dedos; as letras aninhavam-se em palavras cadenciadas com o coração e por isso só escrevia: tum-tum, tum-tum, o que se lhe afigurava um tudo-nada estúpido. Gostava de escrever de pé, como o Pessoa. A verticalidade facilitava o escoamento das ideias da cabeça para as mãos. Também olhava pela janela em busca de inspiração mas do outro lado não havia nenhuma tabacaria; havia sim um prédio, e a seguir, outro prédio e do outro lado, outro prédio. Toda a rua a bem dizer era formada por prédios e as outras ruas também, devia ser por isso que chamavam às ruas todas, cidade. De pé apetecia-lhe fumar enquanto assentava no papel as desventuras de mais um dia. Quando foi buscar um cinzeiro ouviu o Chico a cantar na rádio: por trás de um homem triste há sempre uma mulher feliz. Era bem verdade, e veio-lhe outra vez à cabeça aquele beijo que lhe dera ao canto da boca. Ou teria sido na boca mesmo? Era para ter sido ao canto e calhou em cheio nos lábios ou era para ter sido na boca e resvalou para o princípio da bochecha? Já não sabia. Andava com esta dúvida havia dias e volta e meia lembrava-se disso só para se atormentar. Esta questão geográfica dos beijos tem muito que se lhe diga. Voltou com o cinzeiro mesmo a tempo de se lembrar que já não fumava há pelo menos dois anos. Olha que chatice. É que o fumo quando se enevoa pelo quarto também cria um certo ambiente. Sentou-se outra vez e jogou as mãos à cabeça. Isto hoje não sai nem a ferros. Os dedos que lhe seguravam a testa tamborilavam mensagens em código morse que diziam: tum-tum, tum-tum. Foi isso que escreveu e desta vez pareceu-lhe bem.

25 comentários:

Joaninha Says:
20 de agosto de 2010 às 22:45

Como eu compreendo isso :-)

No entanto deixa-me dizer que este texto é um verdadeiro rasgo de inspiração.

beijos

El Matador Says:
20 de agosto de 2010 às 22:56

Ahaha talvez porque tenha surgido da maior falta de inspiração.

Peanut Says:
21 de agosto de 2010 às 00:04

a mim também me parece muito bem. Tu és bom, pá!

El Matador Says:
21 de agosto de 2010 às 00:08

Muito Obrigado Peanut, isso vindo de ti é muito bom.

umagataemcasa Says:
21 de agosto de 2010 às 01:49

O beijo tem que se lhe diga.Quando ele é bom, quente, sensual, tira-nos a razão. E querendo saboreá-lo na ausência do outro, por que motivo a mesma razão perde-se na sua lembrança?
Saboreá-lo é delicioso e único.
Esta falta de inspiração resultou num post delicioso, quase um beijo.

El Matador Says:
21 de agosto de 2010 às 01:57

Tem muito que se lhe diga.

blue Says:
21 de agosto de 2010 às 14:59

Adorei. Adorei. Adorei.
Gostava de ter palavras para escrever um comentário melhor, mas a preceito, mas não as tenho. Simplesmente, adorei. O título conquistou-me logo; entrei, e adorei cada palavra, cada frase, cada parágrafo. Parabéns. Muitos e muitos :)

El Matador Says:
21 de agosto de 2010 às 15:03

Obrigado pelo entusiasmo, Blue.

blue Says:
21 de agosto de 2010 às 15:13

E com o entusiasmo fugiu-me o "i" - queria dizer mais a preceito, mas acho que deu para perceber :)

El Matador Says:
21 de agosto de 2010 às 15:16

Sim, deu. :)

blue Says:
21 de agosto de 2010 às 15:18

Ah, e nada de agradecer que estas coisas não se agradecem. Sentem-se. E escrevem-se.

Tulipa Says:
21 de agosto de 2010 às 20:22

Gostei muito. É difícil fazer chegar do coração às mãos mas tum-tum, tum-tum, dá para perceber a mensagem.

El Matador Says:
21 de agosto de 2010 às 20:37

Isso é que é preciso.

Joaninha Says:
23 de agosto de 2010 às 10:28

"talvez porque tenha surgido da maior falta de inspiração"

Muitas vezes é nesses momentos que o artista cria as suas melhores obras, e tu és um artista homem!

beijos

El Matador Says:
23 de agosto de 2010 às 10:41

O artista agradece as tuas palavras.

ehehe já pareço um jogador de futebol a falar na terceira pessoa.

. Says:
26 de agosto de 2010 às 08:48

Algumas palavras só fazem sentido quando conseguimos designar os sentimentos: tum-tum, tum-tum...

Adorei o texto e as referências (Pessoa e Chico são meus preferidos).

Beijo,
Ane

El Matador Says:
26 de agosto de 2010 às 09:04

Obrigado.
Gostei da nova imagem, Ane.

. Says:
27 de agosto de 2010 às 05:44

Obrigada, querido Matador! =)

MZ Says:
30 de agosto de 2010 às 16:56

Também me parece bem...muito bem!
Mas é imperdoável que o Abrenúncio não se recorde do beijo... imperdoável meu caro! :)

gosto tanto das tuas personagens que até me esqueço do "El Matador"
Bj

El Matador Says:
30 de agosto de 2010 às 17:07

O mensageiro não é importante.

Joaninha Says:
31 de agosto de 2010 às 11:16

E então novidades?

beijos

El Matador Says:
31 de agosto de 2010 às 11:26

Novidades, novidades, só nas ilhas.
:)

Lala Says:
1 de setembro de 2010 às 22:07

E com a falta de inspiração mais uma vez Abrenúncio consegue surpreender-me. tum-tum, tum-tum... achei genial!

Bjs

El Matador Says:
1 de setembro de 2010 às 22:17

Lala,long time no see.
tum-tum, tum-tum.

Lala Says:
7 de setembro de 2010 às 22:50

indeed... tum-tum tum-tum :)