I - trilogia lapidar

| domingo, 18 de novembro de 2012 | |

E no dia em que o (na altura) pastor David finalmente atirou uma valente pedrada aos cornos do mastodonte Golias; o escândalo rebentou entre a população judaica, que entretanto estava farta de ser comida a torto e a direito, pelos filisteus: Ai meu deus, disseram eles, mas que jeites David, perquê essa violência toda, atã nã vês que a gente sômes os escolhides de deus, a gente nã é pela violência, a gente é branda, tipo, mansa dos costumes, tás a ver? E David (futuro rei dos judeus) ao guardar a funda, envolto nas peles de carneiro que lhe eram características; incrédulo e estupefacto com tamanho espectáculo de ingratidão, pensou: Que povinho de merda! Nunca estão satisfeitos com nada. Por vontade deles nem sequer tinha havido o 25 de Abril, quanto mais o Natal.

3 comentários:

desejo Says:
18 de novembro de 2012 às 22:05

Não te lia há algum tempo, comecei pelo fim.
Observo o post e penso.

:)

Briseis Says:
20 de novembro de 2012 às 22:40

(Os judeus falam madeirense?)
Isto foi um à parte...o comentário é: Judeus há muitos. Davides é que não há maneira de se revelarem...

El Matador Says:
20 de novembro de 2012 às 22:43

nã é madeirense é algarvio porra.