O Homem Que Gostava de Ir às Putas

| sexta-feira, 26 de outubro de 2012 | |

Com as putas não havia necessidade de mentir. De parte a parte. Nem ele mentia às putas nem as putas lhe mentiam a ele. Estavam reunidas portanto, todas as condições necessárias para o início de uma relação sincera e duradoura.
A princípio foi a estranheza. A timidez perante a carne nua e despudorada, a mobília mapeada a tons de vermelho; as luzes em néon, a música quase tribal que lhe acompanha as batidas do coração, os espelhos sujos...
Depois foi o verbo: quero aquela! - Como quem está no talho e aponta para a vitrina:  Aquele belo naco por favor. E o pedaço de carne de pronto lhe é entregue: embrulhado em rendas finas de negro e vermelho, perfume barato salteado de  palavras gentis.
Ainda que o verbo inicial seja o motor de toda a acção, posteriormente, são as exclamações que tomam as rédeas do carburador: Oh!, Ah!, ou apenas (!!!) momentos singelos em que nada se diz e tudo se sente, à flor da pele (lá está o Chico outra vez); tempos interjectivos e puros, roubados aos deuses e tornados sublimes pelo homem. Uma dialéctica muscular que se resume em ir-vir e chegar.
Estão aqui envolvidas todas as ciências do mundo moderno. Primeiro a química, depois a física; a biologia aliada à psicologia, e por fim, como que a rematar o cortejo, ou às vezes encabeçá-lo, a economia: mãe/produto de todas as transacções -  Check please!

10 comentários:

desejo Says:
26 de outubro de 2012 às 22:56


Dou por mim a pensar, "A Mulher que gostava de ir aos putos", talvez osse mais simples para todos nós.
Bela simbologia (simbiose) da física...e da mãe.
:)

nAnonima Says:
26 de outubro de 2012 às 23:03

pois eu quero alguem que gema por puro prazer. mesmo que sem amor. nunca por dinheiro ou outro presente qualquer.

quero sexo que seja sexo, com muito suor, sangue, se o houver, e lágrimas, quando o membro nos fura as entranhas.

pagar para ouvir, ver e sentir alguém a fingir?... não...

nAnonima Says:
26 de outubro de 2012 às 23:06

acrescento, no meu mundo ideal, o sexo seria sempre feito sem qualquer contrapartida, apenas por prazer ;)

mas nada tenho contra quem vai às putas. é um serviço como outro qualquer. apenas não me satisfaz...

Catsone Says:
29 de outubro de 2012 às 18:48

Conheço alguns desses homens e muitas vezes vão se embora sob antibióticos...

El Matador Says:
29 de outubro de 2012 às 18:51

ahahaha, pois!

Mz Says:
29 de outubro de 2012 às 22:59

O abrenúncio sabe disto?

Briseis Says:
30 de outubro de 2012 às 23:05

Até quando falas em putedo és encantador... Vai lá vasculhar no meu pedestal o selinho todo janota que te arranjei. Não o vais partilhar, mas é para teu regozijo. =)

Maria Says:
4 de novembro de 2012 às 12:42

E depois, o homem que gosta de ir às putas suspira e goza da éfemera sensação de paz. Entendo isso. Faz de conta que não se deve nada a ninguém, nem satisfações...

Branca Clara Says:
6 de novembro de 2012 às 16:09

Tão fácil... Tão descartável... Tão triste...

nAnonima Says:
13 de novembro de 2012 às 14:21

já largavas as putas e voltavas à escrita, não?!? :(