Não Vai Nua

| sexta-feira, 6 de janeiro de 2012 | |
A velha grita impropérios no meio da sala. Está senil e rabugenta, mas ainda mantém o grau superior de hierarquia e por isso respeitam-na. Não é bem respeito; é subserviência canina.
Pertencesse ela à nobreza e, talvez uma criança já lhe tivesse apontado com o dedo a nudez, que é evidente. Mas não sendo rainha, e como ninguém lhe quer ver o corpo nú: um corpo seco, engelhado, estéril; a velha grita e a escória abana o rabo.

9 comentários:

Briseis Says:
6 de janeiro de 2012 às 19:58

Creeeeeeeeedo... que visão infernal. Tanto a da velha, nua, como a do degredo dos desfiles nudista bamboleantes que vemos todos os dias pela janela ou pela tv...

El Matador Says:
6 de janeiro de 2012 às 20:32

Dantesco.

desejo Says:
6 de janeiro de 2012 às 22:35

O nu de velho(a), por mais que nos custe ver é sempre apelativo. Quande se é jovem é o prazer de ver e apreicar.Quando se é velho, é a curiosidade, a visão de que um dia seremos um nu velho.

:)

Catsone Says:
7 de janeiro de 2012 às 01:11

Man, quiéquéisso?

El Matador Says:
7 de janeiro de 2012 às 01:36

eheh

Sorriso de Menina Says:
7 de janeiro de 2012 às 12:38

O corpo, se for bem tratado, dura uma vida inteira! Mas a alma em alguns corpos passa a ser mais que tudo. :)

Maria Says:
8 de janeiro de 2012 às 13:23

a nudez passou a ser um privilégio dos belos :)

ditonysius Says:
9 de janeiro de 2012 às 19:16

Bem! A aristocracia por aí anda! Está descontente? É possível! Até eu ando! O rosto mantêm o pó de arroz, e o corpo esconde a engelhada nudez, e nós ainda lhe mandamos uns apupos: "Mas que gaja boa ali vai!"

El Matador Says:
9 de janeiro de 2012 às 19:46

Essa é que é essa.