A Carta

| sexta-feira, 9 de julho de 2010 | |
Há muito que ela adiava escrever a carta. Não podia ser, a carta tinha que ser escrita; é para isso que servem as cartas. Considerava ainda a hipótese de enviar um e-mail mas pareceu-lhe demasiado informal, frio mesmo, seco. Uma pessoa clica no rato e zás! É atacada de chofre por uma avalanche de informação que nos mina todo o campo visual, sem pré-aviso,  sem anestesia. As máquinas são assim, insensíveis, não pensam na dor que causam às pessoas. Executam ordens e mais nada, sendo a palavra chave: executar. As cartas por seu lado são muito mais compassivas. São fiéis ao ser humano, como os cães e a cerveja. Deixam-se manusear; correm mundo, recolhem pequenas impressões que mais tarde transmitem ao destinatário através do toque, do simples olhar, do selo, do carimbo. Abre-se a caixa do correio e lá está ela sentada, à nossa espera, logo aí começa a emoção. Abrimo-la com cuidado para não a rasgar, lemos as primeiras linhas, lemos mais um bocado ansiosos e «Ah! Que alegria». Às vezes ficamos em silêncio de cenho carregado - más notícias – vertemos uma lágrima, duas, e a tinta começa a escorrer. A carta chora connosco, compartilha a nossa dor, o nosso luto.
No presente caso não se sabia se eram boas ou más notícias. Ela ainda não tinha escrito a carta e ele ainda não a tinha recebido.

10 comentários:

Tulipa Negra Says:
9 de julho de 2010 às 21:19

Espero que ao menos sejam boas notícias. De más notícias já a caixa do correio está cheia, com facturas e contas para pagar...
Beijinhos

MZ Says:
9 de julho de 2010 às 21:19

Eu adoro cartas, guardei todas as que me enviaram e releio-as de vez em quando.

Por isso fica aqui um apelo:
Ela tem de escrever a carta...
Escreve!

:)

El Matador Says:
9 de julho de 2010 às 21:44

@MZ: Eu também gosto de cartas, mas não as consigo guardar, desaparecem sempre.

@Tulipa Negra: Essas não conto como cartas mas como más notícias com invólucro.

Peanut Says:
10 de julho de 2010 às 16:40

lindo. trouxe saudades.

El Matador Says:
10 de julho de 2010 às 16:43

saudades é bom.

Peanut Says:
10 de julho de 2010 às 21:24

pois é. saudades são a única coisa que gosto de deixar para trás :)

Tulipa Says:
11 de julho de 2010 às 13:43

Eu tb gosto de escrever cartas, mas nem sempre as envio...ás vezes só o acto de as escrever chega.
kiss

El Matador Says:
11 de julho de 2010 às 13:57

Eu escrevi muitas, agora nem por isso.

Lala Says:
9 de setembro de 2010 às 22:10

eu também preciso de escrever uma carta. há muitos anos que ando nisso. ainda só tenho a data. estou a falar a sério.

El Matador Says:
9 de setembro de 2010 às 22:16

já não te falta tudo.