50 minutos depois

| sexta-feira, 27 de abril de 2012 | |

50 minutos depois, já as flores estavam murchas, vê Abrenuncio chegar uma esbelta moça muito parecida com aquela com que havia marcado o encontro. Podia ser a irmã mais nova da outra. Podia, mas ela não tem irmãs. Foi uma observação irónica. O que eu queria dizer é que quando deus fecha uma porta abre sempre uma cave. Humm, não me parece que seja assim o ditado. Não? Não, acho que é: quando deus fecha uma janela, pára sempre um elevador. Eh lá, essa não é de certeza. Atão haviam lá elevadores no tempo de deus? O que é que isso interessa? Também não haviam caves. Ai não haviam? Não. Tens a certeza? Atão onde é que eles guardavam o vinho? Qual vinho? O vinho que eles bebiam às refeições. Isso era água que deus ia transformando conforme fizesse falta. Arrghhh! 'Tás a misturar tudo. Eu? Tu é que não leste a bíblia, diz lá que deus transformava a água em vinho e mais não sei quê, além do mais nada disso interessa, a questão aqui é a das oportunidades, como deus disse: que atire a primeira pedra à janela aquele que nunca abriu uma porta. Querendo isso dizer... Querendo isso dizer que te desencontraste da outra, pelo menos até ao infinito, mas podias aproveitar esta agora que até já te fez olhinhos e à primeira vista parece mais interessante que a outra. Se tiver que ser acontece, já está escrito. Já está ESCRITO??? Assim como já estava escrito que ias cair num buraco espacio-temporal e atrasares-te no passado 50 minutos no futuro? Deus escreve certo uma linha de cada vez. Ai!!!
Olha, foi-se embora. Aborreceu-se certamente. Deus dá com uma mão e tira com as duas.
Pois é, candeia que vai à frente alumia a vanguarda do caminho.

1 comentários:

Briseis Says:
8 de maio de 2012 às 23:37

...e já que temos que esperar 50 minutos a ver se a dama aparece, vamos passar numa livraria e fazer uma leitura diagonal da Bíblia para pôr os pontos nos is destas histórias todas... porque, de hora a hora, Deus gosta de engrossar o seu número de leitores.