um dia um homem cansa-se

| quinta-feira, 31 de maio de 2012 | |

Jogava sempre com duas chaves e os resultados saíam-me sempre ao lado. Eu explico, saía sempre o número ao lado daquele que eu escolhia. Cedo delineei um método infalível baseado nesta minha descoberta teórica da lateralidade: comecei então a jogar com três chaves. A primeira e original, a segunda só com os números ao lado da primeira e a terceira com os números ao lado da segunda. Não por sorte ou azar, por sarcasmo apenas, digo eu, começaram a sair os números ao lado dos números ao lado do números ao lado. Seria o destino a rir-se de mim?
Eu, um não crente da providencia, um apostador do caos, de imediato urdi um plano para fintar a aparente ironia poética desse tal destino parvalhão. Optei pelo cerco, a jogada mais paciente ainda que aparentemente desesperada: joguei com uma chave ao centro e as outras com os números todos à volta. O boletim era um massacre, havia cruzes por todo o lado. Nada! Gastei uma fortuna, duas até, e não me saiu nada. Cheguei a comparar-me com aquele homem da televisão que apostava sempre no vermelho e saía-lhe sempre o preto. Deixar de jogar era fácil, e talvez uma das melhores coisas que faria na vida, o meu médico havia de gostar, mas não me conformo. Estou obcecado, tem de haver uma saída, as combinações são incontáveis mas não são infinitas; é só apostar ao lado do lado do lado do lado do lado... A ansiedade só por si é o suficiente para me matar. Mas não pode ser, tenho que continuar, estou viciado. Sou um masoquista ao fim de contas. Um dia pode ser que me canse

10 comentários:

luisa Says:
31 de maio de 2012 às 22:41

É por isso que eu não me maço e deixo tudo por conta da máquina. Ela é que escolhe. Se sair o número ao lado ela que se amofine. E também jogo sempre pelos mínimos. Resulta igual. :)

desejo Says:
31 de maio de 2012 às 22:44

ehehehehe!
Os números põe-nos loucos.

:)

Mz Says:
31 de maio de 2012 às 23:26

Olha uma vez calhou-me à volta de 2000€ foi uma decepção porque faltava tão pouco para o prémio total. Enfim, foi ao lado!

Briseis Says:
1 de junho de 2012 às 11:24

Cá para mim, devias dedicar-te às raspadinhas... aquilo de procurar uma moeda e raspar, raspar, raspar é muito catártico e liberta por antecipação o stress de não ganhar nada...

Abrenuncio Says:
1 de junho de 2012 às 11:42

@Todas: Obrigado por todos os conselhos sábios sobre jogo que aqui deixaram. O problema que eu queria abordar no entanto era mais a ansiedade, o jogo é a metáfora, sim porque eu sou um ser abundantemente metafórico, e às vezes meteórico.

El Matador Says:
1 de junho de 2012 às 11:49

Peço desculpa por esta intromissão do Abrenúncio, que por vezes acha-se no direito de comentar. Dito isto, sou forçado a concordar com ele.

Anónimo Says:
2 de junho de 2012 às 14:56

joga em boletins diferentes...

ditonysius Says:
21 de junho de 2012 às 17:12

Concordo: flagelar-me pela ansiedade de sairem goradas as minhas expectativas, inclusive ao azar ...
ARrrrrghhhhh

Um abraço do Canto de Cá...

Brown Eyes Says:
27 de junho de 2012 às 21:30

ahahahah Estou à espera de acertar à anos, sai sempre ao lado

El Matador Says:
27 de junho de 2012 às 22:52

tb eu