O Buraco Negro

| sábado, 15 de janeiro de 2011 | |
A minha cidade é como um buraco negro. Será a minha cidade um buraco negro? Vários estudos científicos apontam para tal eventualidade. Nada escapa à força gravitacional que é a parvoíce na minha cidade. Nada. Nem a luz dos olhos dos cidadãos, que por isso, deixam de ver. O próprio tempo retarda junto de um buraco negro, o que justifica o facto de as pessoas na minha cidade serem um pouco retardadas.
Das forças que se esmagam sobre si próprias e se comprimem no núcleo da minha cidade feita buraco, nasce um nova intelligentsia, cujo espectro se traduz numa variada gama de estupidez. Uma espécie de radiação maligna que corrompe e destrói toda energia artística e beleza natural que por ela circunde. Não há fuga possível ao poder da sua ignomínia. Daí a escuridão. Daí o buraco.
Os cientistas contam-me que certos buracos negros, foram em tempos, estrelas. Hummm! Suspeito que a minha cidade nunca tenha sido estrela: buraco sim, negro também, mas estrela, não.
Agora que penso nisso, vem-me à lembrança um buraco negro que em tudo se assemelha à minha cidade. É um buraco escuro, malcheiroso e parece que também é cego.

7 comentários:

B Says:
16 de janeiro de 2011 às 11:03

Épá!!! não deve ser fácil viver num sítio desses...! Vem para a luz! Muda de casa, muda de vida, jovem!!! Exorcisa-te!!! =)

desejo Says:
16 de janeiro de 2011 às 15:49

O que que é que hoje não é um buraco negro?
E somos nós que o construímos.

El Matador Says:
16 de janeiro de 2011 às 18:37

@B: Ahahaha, parecias a parte final do Poltergeist.


@Desejo: É verdade.

. Says:
17 de janeiro de 2011 às 03:48

Que analogia, Matador! Hahaha!

Diante disso, convido-te a conhecer Recife, cidade onde eu moro, que não me parece um buraco negro. Embora seja constituída por alguns buracos escuros e malcheirosos! :]

El Matador Says:
17 de janeiro de 2011 às 08:53

:) Obrigado pelo convite Ane, já ouvi dizer que o Recife é bem bonito, um dia destes passo por aí.

Mz Says:
17 de janeiro de 2011 às 19:06

Essa é a tua visão porque tenho a certeza que essas pessoas de quem falas e que detêm a tal "intelligentsia" sentem-se GRANDES "estrelas" perfumadas independentemente do fosso onde comem e da estrumeira que fazem.
O pior é que mesmo que alguém lhes acenda a "luz" elas continuam a ver o mesmo. É chamada a cegueira crónica! E assim continua tudo igual...

El Matador Says:
17 de janeiro de 2011 às 19:33

Parece que os conheces, :)