Eis A Questão

| terça-feira, 23 de novembro de 2010 | |
- Ainda vais gostar de mim quando eu for gorda e careca? – súbita questão feminina.
Era Zubaida quem inquiria. Labregoísio estremeceu: seria esta uma pergunta armadilha? Daquelas artilhadas para pensarmos que o desarmamento é possível; daquelas que nos levam a pensar que a resposta é só cortar o cabo vermelho no último segundo e estamos safos.
A última vez que cortara esse cabo vermelho à confiança, todo o mau feitio de Zubaida explodira-lhe em cheio na cara. Ficou um mês a pão e água, no sofá, com os cães e um cobertor. Agora que tudo voltara à normalidade, que os tratados de paz conjugais haviam sido assinados, que nada de novo havia a oeste do quarto de dormir; eis que Zubaida larga um engenho de consideradas dimensões no hall de entrada.
- Estou à espera – Insiste Zubaida. A contagem decrescente inicia-se. Labregoísio olha para o relógio digital preso ao dispositivo da questão, que presumia ser explosiva, e também ele se liquefaz em rios de suor. Avaliando rapidamente o tamanho e peso da coisa, Labregoísio chega à conclusão que é todo o prédio, senão mesmo o bairro, que está em perigo. Não existe portanto, margem para erros de linguagem, gaguejos ou evasões floreadas.
Do painel principal da bélica interrogação, Labregoísio sabe que tem que evitar a todo o custo os fios vermelhos da gordura e os castanhos da calvície, restando apenas os azuis de neutralidade incógnita. Que fazer? A contagem decrescente, em vermelho implacável, parecia acelerar: 8,7,6,5…Labregoísio descarna os cabos azuis e dá-se conta que a única solução será executar um bypass de charme…4,3,2,1…
- Minha flor! Quando fores gorda, se isso chegar a acontecer, o que não me parece possível, haverá nesse caso mais mulher para amar. E então, como careca já eu sou, seremos o casal perfeito: duas almas gémeas em dois corpos espelhados.
…0

17 comentários:

pink poison Says:
23 de novembro de 2010 às 20:22

Felizes para sempre?

El Matador Says:
23 de novembro de 2010 às 20:25

Felizes por enquanto.

brita Says:
23 de novembro de 2010 às 21:23

ninguém gosta de mulheres gordas e carecas eheheh
pode amá-las, mas isso é diferente

desejo Says:
23 de novembro de 2010 às 21:54

Labrego(ísio), um homem com receios mas que,contrariamente ao habitual, encontrou a questão certa, no momento certo e único.
Gostei.

El Matador Says:
23 de novembro de 2010 às 22:03

@brita: A Sinead O'Connor, agora 'tá um bocado gorda. :)

@desejo:Tem os seus momentos, o Labregoísio.

luisa Says:
23 de novembro de 2010 às 22:27

Coitados do Labregoísio e da Zubaida... eles não sabem, mas já não se amam.

El Matador Says:
23 de novembro de 2010 às 22:35

Hummm, acho que percebo o teu ponto de vista, Luísa.

Alice Says:
24 de novembro de 2010 às 11:24

por muito figurativo que isto seja, confesso que no outro dia fui assaltada por uma questão semelhante. Será que ele vai gostar de mim? Apesar de sermos mais que o corpo, somos também isso. Poderemos amar as dentaduras postiças, as artroses... Enfim, às vezes penso nisso

El Matador Says:
24 de novembro de 2010 às 11:48

Se envelheceres junto da outra pessoa penso que não se notam tanto essas marcas do tempo. É uma questão de relatividade.

Tulipa Says:
25 de novembro de 2010 às 11:25

Labregoísio é um homem inteligente e com muito amor para partilhar. Eu sabia! Kisses

El Matador Says:
25 de novembro de 2010 às 12:05

;) Parece que sim.

MZ Says:
28 de novembro de 2010 às 11:41

O corpo é só um meio de transmitir a mensagem, massssssssss as barbies vêm estragar sempre tudo!
Corpos perfeitos povoam as cabeças do homem e as mulheres deixam-se levar, ou não fossemos nós sensíveis,vaidosas e muitas vezes inseguras.
Mas afinal, como será o Labregoísio daqui a uns anos?
É que ambos envelhecem e os corpos alteram-se.

Mas ele esteve muito bem e só pela última frase eu perdoava-o.

El Matador Says:
28 de novembro de 2010 às 17:22

Bem dito essa do corpo servir para transmitir uma mensagem, muito zen.

blue Says:
7 de dezembro de 2010 às 14:19

Homens... o charme que lhes é indiscutível (pelo menos a alguns), parece "salvá-los" sempre.

El Matador Says:
7 de dezembro de 2010 às 14:26

ehehe

B Says:
10 de dezembro de 2010 às 12:30

Amei, amei, amei!!!
E quase morri sufocada ao conter a respiração perante o pânico do pobre Labregoísio!
Muito bem!!

El Matador Says:
10 de dezembro de 2010 às 15:44

Acabou tudo bem :)