Despertemos!

| sexta-feira, 21 de outubro de 2011 | 13 comentários |
Todos os dias de manhã, duas senhoras testemunhas de Jeová pedem-me encarecidamente para lhes jogar a literatura para o lixo. Passa-se mais ou menos assim:
- Bom dia jovem (gosto), importa-se de nos fazer um favor e jogar este exemplar do Despertai! para o lixo?
- Com certeza – Respondo educadamente, e imbuído de um espírito escoteiro que nunca tive lá carrego o panfleto até ao balde de lixo mais próximo. É uma sensação boa, esta de ajudar as pessoas logo pela manhã.
Agora para algo completamente diferente; Despertai!? A sério? Para acordar já tenho dois dispositivos lá em casa: um que me assusta, outro que me deixa em pânico, ambos são irritantes. Minhas senhoras, do que eu preciso de manhã é de um balde de café forte, mas como o médico me cortou a cafeína finjo que desperto com o sucedâneo descafeinado.
Como declaração de interesses devo ainda esclarecer que a única crença que me move é a do Unicórnio Cor-de-Rosa Invisível, como é atestado no frontispício. Gosto de seres místicos e alados. Ainda não o vi porque é invisível, tenho fé no seu poder porque consegue ser cor-de-rosa ainda que invisível, acredito que criou o mundo porque ainda não me provaram o contrário.

A Escolha

| sexta-feira, 14 de outubro de 2011 | 9 comentários |
O senhor Hermenegildo Bagarrão não sabia se havia de comprar o bilhete para o jogo ou de almoçar. Era uma chatice cada vez que se punha a pensar no assunto, e, como o jogo estivesse quase no início, ponderou. O que é o dinheiro se não uma mera formalidade envolvida na troca de bens e serviços; o jogo é um serviço. A comida é uma satisfação... necessária? Perguntou-se. Segurou a barriga com ambas mãos e apertou os pneus - A Zubaida passa a vida a dizer que tenho que perder isto – Posso começar agora. A ideia da mulher trouxe de arrasto a imagem dos filhos, há que pensar neles, é imperativo. - Os putos comem na escola! - Assunto arrumado. Como era um católico fervoroso às vezes, veio-lhe à ideia, à laia de alívio de consciência, frases soltas que o senhor prior proferia aos domingos - a carne é fraca, o espírito é eterno, a salvação da alma é mais importante que a do corpo – frases que o incomodaram, é certo, no passado mas que agora se revestiam de alento. Que mais poderia ele fazer se não esquecer o corpo e alimentar a alma? Que melhor colírio para o espírito do que assistir aos golos do seu clube do coração.
Além disso, quantos dias pode um homem passar sem comer, trinta? Quarenta? Dava para assistir a pelo menos quatro jogos. É sabido que sem bebida é que um indivíduo não pode passar, é fatal dizem eles, mas quanto a isso estava garantido: tinha o frigorífico carregado de minis.